Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Ronaldinho Gaúcho’

Bem bolado...

Bem bolado...

 

O Brasil segue na zona de classificação das Eliminatórias. A Seleção tem um time encaminhado para a Copa do Mundo do ano que vem e um jeito de jogar já conhecido por quase todos, o que os jornalistas que rodeiam a Granja Comary regozijam-se ao chamar de Padrão de Jogo. Nada disso, e nem o empate de ontem contra o Equador, o que não acontecia há mais de uma década – nos últimos dois confrontos na terra de Aguinaga, saímos derrotados –  bastam para assegurar a permanência Del Comandante en Chef Dunga até o Mundial da África do Sul.

 

É verdade que ele, seja por falta de experiência, seja por pura implicância com a imprensa Bandeirante, abraça causas perdidas: casos de Gilberto Silva, Josué, Adriano e Doni. Mas é também fato que Dunga escala a zaga que deve escalar, que encontrou, na Itália, o volante que a Seleção ainda não tinha, Felipe Melo, e que insiste muitos mais em mandar pra campo os melhores jogadores: a apatia de Ronaldinho Gaúcho deve ser uma incógnita para ele, como para todos os brasileiros.

 

Quarta-feira tem mais, contra os peruanos, aqui em Porto Alegre.  Antes disso, vamos às notas:

 

Julio César – Nome e atuação de imperador. Caso fosse europeu, já seria considerado o melhor goleiro do mundo. Como é oriundo do subdesenvolvido, lúbrico e libidinoso Rio de Janeiro, terá que comprovar tudo isso na Copa. Nota: 7,2.

 

Maicon – Caso curioso: jogador dependente dos músculos foi traído por um deles. A lesão no começo do jogo não permite avaliação alguma. Sem nota.

 

Lúcio – Joga com a mesma seriedade e vontade contra a Alemanha ou a Tailândia. O que é sua maior qualidade, mas seu maior defeito também. Acertou muito mais do que errou, como sempre. Nota: 6,1.

 

Luisão – A altura não compensa a falta de velocidade crônica. Desde os tempos de Cruzeiro não via futuro para ele na Seleção. Foi titular muito mais por tempo de serviço do que maior talento que Miranda ou Tiago Silva. Nota: 4,2.

 

Marcelo – Alterna boas e más atuações. Ontem, foi desastroso: lembrou os piores momentos de Roberto Carlos, mas sem a velocidade e a força do ex-latifundiário de nossa ala. Deve dar boa resposta, caso seja mantido no time para o jogo no Beira-Rio. Nota: 3,4.

 

Gilberto Silva – Volante em decadência. Após perder lugar no Arsenal para o também brasileiro e promessa prematuramente negociada para o exterrior, Denílson, deixou o campeonato inglês, o mais rico do mundo, para transitar pelas ruínas gregas. Nota: 2,8.

 

Felipe Melo – Lembra o Mauro Silva de 1994. Marca, passa e conduz a bola com a mesma facilidade. Não conseguiu faze-los com a habitual desenvoltura na tarde de ontem. Mas, para desespero da imprensa do Império, é mais volante que Hernanes e Ramires. Nota: 5,1.

 

Elano – O oxigênio escasso das alturas do Equador não fez bem a Elano. A ponto do bruxinho camarada de Dunga, no momento em que havia duas bolas em campo, recolher uma delas com as mãos e arremessar na direção do árbitro. Inchia, complacente, rapidamente livrou-se da bola e não expulsou o brasileiro. Nota: 4,2.

 

Ronaldinho Gaúcho – Sempre acredito na recuperação de craques. Quem sabe jogar, seja lá o que for, de Rugby a Peteca, desde que se dedique da forma que os pobres em talento o fazem, invariavelmente dá a volta por cima. Não parece ser o caso do Gaúcho. Em algum momento depois de perder o Mundial pro Inter, ele resolveu que não precisava mais de mobilidade. Hoje, se movimenta com a lentidão do Zidane, mas sem os recursos do francês. Nota: 2,1.

 

Robinho – Protegido de Dunga desde que emprenhou-se em disputar a Copa América de 2007. Junto de Julio César, Lúcio e Kaká, é titular fácil pra Copa. No Equador, lembrou o Robinho pipoqueiro que não amarra as chuteiras nem de Cristiano Ronaldo. Nota: 3,0.

 

Luis Fabiano – A solidão de um centroavante, quando ocorre, é a maior de todas as solidões no futebol. Luis Fabiano sofreu desse mal, ontem. Ele foi abandonado pelo restante do time. Nas duas vezes que o acionaram, levou perigo. Além de começar a jogada do gol. Mesmo assim, não me convenço de que possa ser o 9 numa Copa. Pato ainda não está pronto, mas, até o meio do ano que vem, quem sabe…  Nota: 4,8.

 

Julio Baptista – Homem de confiança de Dunga. Mesmo que nunca passe de um reserva, é nome certo pra África do Sul. Sempre que entra no time, contribui com o que tem de melhor: força, imposição física e arremates. Como o que originou o gol de ontem. Nota: 6,0.

 

Daniel Alves – Lateral de mesmo nível do Maicon. Vive grande fase no Barcelona. Tem qualidade nas bolas paradas. Nota: 5,1.

 

Josué – É útil a Dunga. Cão de guarda de pouco tamanho e muito empenho. Para desespero de todos nós, o time melhorou depois de seu ingresso. Nota: 4,0.

 

Foto: Ururau.com.br

 

Guilherme

Read Full Post »